Lifting Facial

Atualizado: Mar 18


O lifting facial, também chamado de ritidoplastia, ou cirurgia da face, é o tratamento mais efetivo para o rejuvenecimento facial. Com o aumento da expectativa de vida, a busca por tratamentos para manter a harmonia facial ao longo dos anos tem se tornado mais frequente, e a satisfação com a aparência física influencia consideravelmente a saúde mental.


Alguns procedimentos podem ser facilmente associados a esta cirurgia como, por exemplo, a Blefaroplastia, a Bichectomia e a Lipoenxertia de face. Essas cirurgias, desde que reailizadas por um Cirurgião Plástico especialista pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica, são seguros e com baixos índices de complicações.


Costumamos pensar somente na parte visível do envelhecimento, mas ele é fortemente influenciado pelas alterações nas estruturas mais profundas da face. Com o tempo, a pele perde a elasticidade, ocorre flacidez muscular, reabsorção óssea do contorno facial e deslocamento dos coxins de gordura localizados, como os que ficam abaixo dos olhos e na papada.


A cirurgia reposiciona as estruturas musculares e ligamentares, retirando o excesso de pele, com resultados evidentes a curto prazo. A abordagem cirúrgica e os procedimentos complementares, como aplicação de toxina botulínica e estimuladores de colágeno, são complementares e sinérgicas, podendo ser combinados para conseguir um resultado mais adequado. Deve ser feito um planejamento individualizado da melhor abordagem, de acordo com a análise da face.


Atualmente, estão sendo realizados muitos procedimentos sem ponderação, levando a uma aparência que não é natural, principalmente se forem realizados por profissionais não habilitados para avaliar qual seria a melhor associação de procedimentos a ser indicada. A intenção da cirurgia, com ou sem procedimentos associados, deve ser a naturalidade.


As alterações do tempo podem fazer a face adquirir uma feição constantemente cansada e desanimada, mesmo que o paciente não se sinta assim. Em geral, após o período de recuperação cirúrgica, a face fica revitalizada, como se a paciente fosse alguns anos mais nova, e as cicatrizes ficam praticamente imperceptíveis, porque ficam posicionadas nos sulcos naturais da face e porque a pele da face é muito fina e cicatriza melhor que as outras partes do corpo. As pacientes começam a apresentar desejo por este procedimento por volta dos 40 anos, quando surgem os primeiros sinais mais evidentes do envelhecimento, mas a indicação cirúrgica depende de uma avaliação multifatorial cuidadosa.


95 visualizações0 comentário